O valor da vida.

14 04 2009

Olá pessoal, gostaria de mostrar um pouco da face oculta do Japão, coisas que geralmente poucos falam, mas que está presente no dia a dia do Japão.

O Japão é um país único, culturalmente falando, alguém vindo de um país ocidental, muitas vezes não entende o modo de pensar desse povo.

Umas das coisas que mais me chocaram aqui, foi o valor dado à vida, não são raros os casos de suicídio aqui no Japão, há casos grotescos em que os pais matam os filhos e depois se suicidam, e outros em que os filhos matam os pais e depois se matam, existem casos e casos, a taxa de suicídios é a maior entre os países desenvolvidos, com uma média de 25 por cada 100 mil habitantes, parece pouco, mas se comparado ao Brasil, com uma média de 5 por cada 100 mil, é um número assustador. E vendo-se que a maioria dos suicidas são jovens ainda em idade escolar, podemos ver o grande problema social que existe por trás dos números.

Uma vez conversando entre amigos, ouvi a frase, “japonês é um bicho besta, morre por qualquer coisa, no Brasil não é assim”, pensei um pouco sobre isso e dei minha opinião sobre “japonês ser um bicho besta, e brasileiro não”, argumentei que o suicído no Japão não é considerado pecado, pois pecado é um conceito incutido pela cultura cristã, desde pequenos ouvimos que suicídio é pecado, que os suicidas vão para o inferno e coisa e tal, e isso acaba por moldar uma visão de medo em relação ao assunto. Mas o Japão é um país budista, que prega a reencarnação, na cabeça deles, morreu, é só voltar e começar tudo de novo.

Desde o tempo dos samurais, o suicídio era considerado uma solução em casos extremos, o “seppuku”, que os ocidentais conhecem também como “harakiri”, foi amplamente usado como modo de limpar a honra. Vemos na história que foi uma prática normal entre os japoneses de antigamente. O que acabou criando uma imagem dramática e romântica em torno desse ato.

É chocante constatar a falta de valor dado à vida aqui no Japão, o pensamento de que morrer acaba com todos os problemas, mas aos poucos, parece que o pensamento dos japoneses está mudando. A algum tempo atrás, vi uma reportagem na TV japonesa sobre um senhor que tinha um câncer pulmonar maligno, com apenas dois meses de expectativa de vida. Com o pouco de tempo de vida que lhe restava, ele tomou uma atitude digna de elogio, este senhor passou seus últimos dias viajando pelo Japão, dando palestras em escolas, falando sobre sua experiência de vida, sobre como tudo se torna fútil, dinheiro, posses, quando o fim se torna iminente.

Ele contava que tudo o que ele ganhou e construiu durante a vida não lhe valiam nada, o que valia mesmo era o amor de sua família e amigos, coisa que aqueles que se suicidam, não dão valor nenhum, e terminava dizendo:

“E para todos aqueles, que acham que a vida não vale nada, que é melhor morrer porque não estão contentes com sua vida atual, eu quero esse tempo de vida de vocês, se possível fosse, queria essa vida para mim. Agora que me restam apenas poucos dias, gostaria de poder fazer muito mais, de poder fazer aquilo que não enxergava antes. Por isso agora eu digo, não desperdicem suas vidas por motivos fúteis, há uma vida inteira esperando por vocês lá fora, há tantas pessoas que se pudessem levariam a vida que vocês estão levando hoje, mas estão condenados a morrer em pouco tempo. Vivam, pois a mais maravilhosa das dádivas é a vida. ”

É difícil para nós entendermos o que se passa na cabeça de alguém que se mata, mas a cultura tem um papel muito grande neste tipo de pensamento aqui no Japão, a competição acirrada de uma sociedade que não perdoa a falha, a cobrança de se entrar em uma boa escola, em uma faculdade conceituada, de se encontrar emprego em uma grande empresa, as pessoas são massacradas pelas cobranças da sociedade, e a solução no final, é simplesmente morrer. Mas o governo e outras organizações não ficam parados olhando tudo isso acontecer, existe um trabalho muito grande, que tenta ajudar as pessoas, e principalmente os jovens, com aconselhamento psicológico e um trabalho social no sentido de acabar com o grande número de suicídios existente no Japão.

A curto prazo não vejo uma solução para este problema, mas espero que as coisas mudem e que os japoneses dêem mais valor à suas próprias vidas.

Qualquer opinião, deixem um comentário.

Até outra pessoal.

Anúncios

Ações

Information

8 responses

16 04 2009
wKad

Yo o/

Conheci o seu blog através do Lingua Japonesa =)

Não li muito dele pouco por falta de tempo, mas achei ele muito bom, você está de parabéns. Admito que não é o primeiro blog sobre “brasileiro vivendo no Japão” que eu vejo, mas tenha certeza que é o primeiro que eu vejo com uma abordagem agradável: você não trata os japoneses, como extraterrestres, mas como pessoas que na maioria das vezes são incompreendidas, e que não compreendem.

Não por culpa deles mesmos, mas tem gente que realmente não se adapta a uma cultura diferente õ_o você falou muito bem: os brasileiros acham que os japoneses são frios com eles, só por serem brasileiros, mas eles normalmente não conseguem nem falar de forma agradável aos japoneses. É óbvio que a recepção vai ser gelada!

Já tive vontade sim, de morar no Japão, mas não pretendo concretizar isso… Sou bastante Otaku e gosto muito de música japonesa ^_^ tenho um blog sobre músicas, onde falo sobre lançamentos, e tento traduzir algumas letras… Não sei muito de japonês, então às vezes é difícil XD seja bem vindo lá quando quiser [ http://isorrow.blogspot.com ].

Boa sorte enquanto vive do outro lado do planetinha 🙂 quando minha curiosidade se atiçar, vou tomar a liberdade de vir perguntar algumas coisas.

matane o/

16 04 2009
Dan

Olá wKad, fico muito contente pela visita e pelos elogios, muito obrigado.

Fico contente em saber que consegui passar um pouco da visão que tenho deste país, é exatamente este meu objetivo, mostrar que este é um país como outro qualquer, quando visto do ângulo certo.

Já tive o mesmo pensamento que muitos brasileiros hoje ainda tem, o de condenar uma cultura inteira, sem nem ao menos tentar entendê-la, mas hoje com um conhecimento maior deste povo, procuro mostrar as diferenças e mostrar que existe muito mais além de tecnologia, animes, gueixas e sushis por aqui.

Espero que volte mais vezes, e possa ver um Japão mais próximo da realidade, e não o país que é mostrado através dos olhos da mídia.

Um abraço.

21 04 2009
Ana Isa

gostei muito desse post…
Me fez ver q nem só de alegrias vivem os japoneses…
Mas tenho certeza q isso vai mudar!
E a realidade deles vai ser outra e vão dar mais valor a vida.
^^

16 06 2010
Lucila

Gostei da sua postagem, porém eu tenho uma dúvida maior quanto à reencarnação. Repare, a doutrina Espírita acredita na reencarnação, mas condena com vemência o suicídio, por acreditar no resgate, que precisa ser cumprido em cada reencarnação, em busca do aperfeiçoamento. Se se interrompe este resgate, não há evolução. Não é culpa. É fuga. É isto que eu queria saber sobre o Budismo. A visão é outra? Tipo: aquele que tem uma vida lascada e aguenta o baque até o final, lutando contra as adversidades tem as mesmas regalias que aquele que achou melhor abandonar a luta?

Eu sou encantada com as artes japonesas: cinema e literatura em especial. Quanto mais leio e assisto, mais encontro a distância entre nossas culturas e tradições. Através dos livros e filmes, aprendi um cadiquim sobre isto, mas esta questão do suicídio, nunca ficou clara para mim. Agradeceria sua ajuda.

27 06 2010
fernando brito

É triste saber o que as pessoas tem feito de suas vidas. Hoje vivemos em um mundo capitalista onde nós somos ensinados que somente seremos felizes se consumirmos muito e se adquirirmos o ultimo produto recém lançado. Eu tenho como hobby fazer artesanato, e sempre me perguntam se vale a pena e se da para ganhar dinheiro, é incrível como as pessoas não se preocupam com a satisfação mas apenas com o dinheiro, não deveriam perguntar o quanto eu ganho e sim o quanto estou satisfeito, esta mais do que na hora de todos perceberem que a felicidade esta nas coisas mais simples e que dão satisfação pessoal e pararem de ser marionetes na mão dos gananciosos. Atitudes simples podem nos ajudar a ter mais apreço pela vida.

16 02 2012
Miriette Le Fay

“(…)argumentei que o suicído no Japão não é considerado pecado, pois pecado é um conceito incutido pela cultura cristã, desde pequenos ouvimos que suicídio é pecado, que os suicidas vão para o inferno e coisa e tal, e isso acaba por moldar uma visão de medo em relação ao assunto. Mas o Japão é um país budista, que prega a reencarnação, na cabeça deles, morreu, é só voltar e começar tudo de novo.”
Isto não é bem assim. Acho que devias aprender mais sobre o Budismo antes de falar acerca dele. É verdade que ausência de religião, que muitas vezes está associada ao pecado, influência no suicídio. Mas à muitas religiões que condenam o suicído para além da Cristã. Os Budistas vêem o suicído como algo negativo. Aqui vai uma citação do wikipedia “For Buddhists, since the first precept is to refrain from the destruction of life, including one’s self, suicide is seen as a negative form of action. If someone commits suicide in anger, he may be reborn in a sorrowful realm due to negative final thoughts.(…)” O suicidio não é bem visto embora não seja condenado da mesma forma que os Cristãos, Mulçulmanos e outros que tais que condenam os suicidas ao Inferno.
De resto concordo muito com o teu artigo e até gosto muito dele. 😉 À de facto uma cultura de suicídio como existe, na minha opinião, uma cultura de violação por parte de muitos países. Consigo, no entanto, compreender um pouco o porquê do suicído no Japão já que tive Depressão e actualmente tenho Transtorno de Ansiedade e sei o quanto às vezes o suicídio nos parece a única opção. Estranhamente, ou talvez não, ao contrário daquela pessoa que te falou do Japão, o problema do suicído lá não me faz mais condena-los ou odiá-los. Para além duma cultura rica e original a ideação do suicídio é algo que tanto vários pessoas no Japão como eu ambos temos em comum.

16 08 2012
anderson

Gostei muito da sua postagem.Sou espirita, As pessoas que pensa que o suicídio é o melhor caminho para dar fins aos seus problemas, está muito enganada, ela apenas está aumentando ainda mais seu carma ao invés de diminuir.Porque a cada reencarnação é uma nova oportunidade que o espirito tem para se evolui e diminuir o seu carma.

16 09 2013
Albano Nascimento

O suicídio é para eles um solução um ultimo intento é como receber a extrema-unção para os cristãos, imagine poder se lavar de tudo que é impuro e isso é o suicídio. A prática cultural, como bem falou parte do ritual de honra, de purificação e retratação do samurai ou seppuku se preferir e nele o samurai tinha tanto a honra recuperada como seus “pecados” perdoados por assim dizer. A taxa é tão alta devido a essa cultura e em tempos de crise se agrava pois quando falido o jovem sentia ter falhado consigo, com a família e sociedade, isso era sofrimento de mais, angustia de mais e honra, agora ferida e incomoda leva a crer que o suicídio e decisão correta, lógica. O que para nós é representação de fraqueza, para eles é força e redenção.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s




%d blogueiros gostam disto: