Uma pequena parada.

26 06 2009

Bom pessoal, consegui arranjar um emprego e ultimamente tenho trabalhado muito, muito mesmo, já são 15 dias sem folga, e por falta de tempo e energia, estou temporariamente impossibilitado de escrever.  Obrigado a todos que leem meu blog e comentam, prometo voltar a escrever o mais breve possível.

Mais uma vez obrigado e um abraço.

Anúncios




O custo Japão.

16 05 2009

Olá a todos.

Muitas pessoas imaginam que viver no Japão, é como viver em um conto de fadas, ganha-se muito dinheiro e vive-se confortavelmente sem qualquer dificuldade.

Em parte isso é verdade, existe a estabilidade que não existe no Brasil, os impostos são justos e a qualidade de vida é bem melhor, mas existe também, várias outras coisas que não são levadas em conta, quando as pessoas imaginam a vida no Japão.

Um dos mitos, é que se ganha muito bem por aqui. Não vou dizer que é mentira, se comparado ao Brasil onde ganha-se uma miséria para sobreviver, no Japão ao menos, existe uma padronização de renda que não existe no Brasil.

Mas apesar do salário alto, na média de 2,000 dólares por mês, o custo de vida aqui é muito alto. Para se ter um padrão de vida aceitável no Japão, gasta-se mais ou menos 1,500 dólares por mês. Um simples apartamento que não chega a ter 50 metros quadrados de área, custa na média 600 dólares por mês, a conta de energia elétrica chega a 120 dólares por mês, a conta com alimentação de um casal pode passar de 500 dólares por mês. Isso sem contar outros gastos como carro, telefone, internet e outros penduricalhos de nossa vida moderna.

Por tudo isso, as pessoas que acham que vivemos no céu, não se enganem, tudo tem um preço, e no Japão, ganha-se mais para poder pagar tudo isso, que custa muito mais caro que no Brasil.

Um abraço e até outra pessoal.





É duro ser estrangeiro.

15 05 2009

Olá pessoal, ultimamente não tive muito ânimo para escrever nada para este blog, mas resolvi me mexer um pouco, e tirar a poeira de cima do teclado, que já estava acumulando, desculpem pela demora, e vamos lá.

Essa semana, fui novamente a agência de empregos do governo(Hello Work), para tentar encontrar um emprego.

Tive uma conversa com um dos funcionários da agência, para ver que tipo de emprego seria melhor para o meu perfil. Mas infelizmente não tive sorte dessa vez, os empregos estão cada vez mais escassos, e as empresas estão cada vez mais exigentes na seleção dos candidatos.

Um dos motivos pelo qual os empregos para estrangeiros estão escassos, é o excesso de mão de obra no mercado, não apenas estrangeiros, mas também japoneses, outro agravante é a falta de empresas que estão dispostas a contratar um estrangeiro para trabalhar.

Isso pode soar como discriminação, mas não seria exatamente isso, os brasileiros que estão procurando trabalho hoje, ainda pensam em sua estada no Japão como algo temporário, não pensam em morar no Japão, isso mesmo estando aqui a dez, quinze anos, a maioria pretende voltar ao Brasil “um dia”. Isso para uma empresa japonesa, é muito difícil de se lidar, como contratar uma pessoa que pode de repente ir embora para o Brasil? A empresa que conta com esse funcionário no seu quadro, pode perder todo o investimento feito no treinamento, e pode ter seu quadro desfalcado sem ter tempo para repor um funcionário mais especializado, o que pode gerar muitos transtornos.

Não condeno as empresas por esse tipo de pensamento, creio que elas estão no direito de escolher o que é melhor para a sobrevivência da empresa, mas não deixo de ter um pouco de mágoa, por pensar que somos todos tratados de maneira diferente por sermos estrangeiros.

Me parece que o caminho para se resolver o problema dos brasileiros que eram trabalhadores temporários, ainda tem muito a ser feito, por um lado a desconfiança de um mercado de trabalho que não conhece a mão de obra brasileira e um governo que não sabe como lidar com o grande número de desempregados que abarrotam as agências de emprego. E por outro lado os brasileiros desempregados, que em sua grande maioria não fizeram muito para tentar se adaptar ao Japão, e agora não conseguem se adaptar ao sistema imposto pela crise que afeta o Japão e o mundo.

É isso aí pessoal, um abraço e até outra.