Preconceito ou não?

3 06 2009

Olá a todos.

Tem horas que fico de saco cheio dessa terra, principalmente quando fica evidente alguma diferenciação pelo fato de ser brasileiro.

Quem está lendo meu blog, pode perguntar o porque dessa minha afirmação, pois na maioria de meus posts, procuro mostrar o Japão, e os japoneses, não com seres de outro planeta, mas como pessoas comuns, da maneira que eu vejo.

Mas tem horas que não dá, principalmente quando vou procurar um emprego, sinto que muitas vezes sou visto como um estorvo, aquela velha mania dos japoneses pensarem que por eu ter vindo de um país pobre, também sou intelectualmente pobre, sem capacidade de executar um trabalho que porventura me seja ordenado.

Tudo bem, até entendo o lado deles, se você vai contratar alguém para trabalhar, é até normal que queira o melhor, o mais preparado, mas sem nem mesmo procurar saber qual é a capacidade do candidato, já ir dizendo que o trabalho é difícil, que não sabe se você vai se adaptar, que pode ter problema com a língua, e outras afirmações que demonstram que o entrevistador está claramente duvidando de sua capacidade, justamente pelo fato de ser brasileiro, são coisas que não suporto.

Digo isso, não por me achar melhor que os outros, mas por ter me preparado, aprendido a língua, os costumes e a cultura dessa terra, e creio que nesse quesito, não devo nada a ninguém. Mas sempre acabo batendo de frente com essa barreira, que é o fato dos japoneses acabarem vendo os brasileiros, como refugiados econômicos acampando no quintal deles.

Creio que enquanto durar essa crise econômica, estamos fadados a essa sina, sermos visto como um problema, algo que deveria ser erradicado, pois não somos os descendentes dos bravos japoneses que foram ao outro lado do mundo, como sempre é dito nas comemorações da imigração, somos na visão deles, uns pobres coitados que vieram em busca de migalhas da fartura nipônica. E agora que não há mais essa fartura, somos um problema, apenas isso.

Deixo aqui o meu protesto, pois não existe ninguém totalmente incapaz, existe sim a incapacidade de se dar uma chance a nós brasileiros, para provarmos que podemos sim, trabalhar e viver dignamente nessa terra.

É isso aí pessoal, até outra.